Plantas de poder: complexos apotropaicos no ecossistema urbano de Ibirité – MG

Resumo

O termo apotropaico deriva do grego apotrepein (afastar-se) e refere-se a uma série de ritos, mitos e símbolos utilizados desde a antiguidade para afastar a desgraça, os maus espíritos ou qualquer tipo de malefício. As famosas carrancas que decoram os barcos do rio São Francisco são bons exemplos de símbolos apotropaicos que neste caso afastam as entidades maléficas do rio, como o caboclo d’água. Nos templos romanos e igrejas medievais também podem se encontrar diversos símbolos que se prestavam a unção semelhante. Frequentemente presentes em comércios e residências, tanto em área rurais quanto urbanas, diversas espécies vegetais também atuam na proteção dos seres humanos. É comum encontrarmos a porta de lojas um vaso contendo espada-de-são-jorge, guiné e comigo-ninguém—pode O projeto tem como pbjetivo principal descrever e compreender as relações entre seres humanos e complexos vegetais apotropaicos usados em estabelecimentos comerciais em área urbanas. Tem-se ainda como objetivos específicos: i. elucidar a existência de padrões de ocorrência dos complexos apotropaicos relacionados ao tipo de atividade comercial; ii. descrever a riqueza e composição de espécies de plantas que compõem os complexos apotropaicos; iii. realizar um levantamento bibliográfico sobre aspectos culturais das espécies que compõem os complexos apotropaicos.

Agência financiadora: Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica Júnior – BIC JR/UEMG/CNPq/FAPEMIG

Professor orientador: Emmanuel Duarte Almada